segunda-feira, 9 de agosto de 2010

Desabafo....

Meu nome é Márcia Elizabeth, sou formada em pedagogia e atuo na área de coordenação pedagógica do Fundamental II ao Ensino Médio. Terminei minha pós na área de RH para educação. Hoje me deparo com situações das quais gostaria de mudar como por exemplo a falta de interesse nos estudos por parte dos alunos. Isso realmente me incomoda, pois quero ver esses alunos tendo outra visão de mundo, buscando um futuro melhor para eles. Não deixo de lutar por eles, até porque eu acredito que dentre eles vou conseguir um dia ver um ou vários deles com um futuro mais digno. Sempre que posso, estou alí na sala dando uma injeção de ânimo para e alertando sobre a vida lá fora sem estar preparado. Realmente isto é preocupante, pois vejo os alunos do Ensino Médio principalmente, muito soltos, independentes, onde na realidade sabemos da importância da presença dos pais no desenvolvimento deles, principalmente nesta fase que acham saber de tudo. Fico imaginando como é que eles irão ter um futuro melhor se eles mesmos conseguem destruir suas vidas, seja com brincadeiras, sejam com falta de interesse. Na realidade são tantas coisas. Definitivamente sabemos que os jovens de hoje são completamente diferentes. Acredito que eles sonham demais nesta tal liberdade e esquecem que ela só vem com compromisso, responsabilidade e muita dedicação. A única coisa que posso dizer é que jamais desistirei deles. Quero sim poder ter cada día saúde, tranquilidade, discernimento para poder orientar esses jovens. Fico triste em perceber que os próprios pais deixam eles tão a vontade. E nesta vontade eles terminam se perdendo, não sabem o que querem. Espero que em algum momento eles acordem e busquem realmente uma vida mais digna, tendo responsabilidade com seus estudos, com sua educação, pois sem ela não iremos muito longe.

sexta-feira, 7 de agosto de 2009

Educação da criança!

Qual é o valor de prestar atenção à educação das crianças desde muito cedo? A Bíblia diz em Provérbios 22:6 “Instrui o menino no caminho em que deve andar, e até quando envelhecer não se desviará dele.”Que espera Deus dos pais enquanto eles educam os seus filhos? Os pais devem ser um exemplo piedoso em palavras e acções. A Bíblia diz em Deuteronómio 6:6-7 “E estas palavras, que hoje te ordeno, estarão no teu coração; e as ensinarás a teus filhos, e delas falarás sentado em tua casa e andando pelo caminho, ao deitar-te e ao levantar-te.”Deus quer que os pais sejam pacientes. A Bíblia diz em Colossenses 3:21 “Vós, pais, não irriteis a vossos filhos, para que não fiquem desanimados.”Que espera Deus de uma mãe? A Bíblia diz em Provérbios 31:26 “Abre a sua boca com sabedoria, e o ensino da benevolência está na sua língua.”A disciplina é uma expressão do amor da parte dos pais. A Bíblia diz em Provérbios 13:24 “Aquele que poupa a vara aborrece a seu filho; mas quem o ama, a seu tempo o castiga.”A correcção firme e afável ajuda as crianças a comprender. A Bíblia diz em Provérbios 29:15 “A vara e a repreensão dão sabedoria; mas a criança entregue a si mesma envergonha a sua mãe.”O propósito da disciplina é para ajudar as crianças a atingir maturidade, não para enfurecê-los. A Bíblia diz em Efésios 6:4 “E vós, pais, não provoqueis à ira vossos filhos, mas criai-os na disciplina e admoestação do Senhor.”Muitas vezes, as crianças pagam as consequências dos pecados dos pais. A Bíblia diz em Êxodo 34:7 “Que usa de beneficência com milhares; que perdoa a iniqüidade, a transgressão e o pecado; que de maneira alguma terá por inocente o culpado; que visita a iniqüidade dos pais sobre os filhos e sobre os filhos dos filhos até a terceira e quarta geração.”Como quer Deus que os filhos se comportem? A Bíblia diz em Efésios 6:1 “Vós, filhos, sede obedientes a vossos pais no Senhor, porque isto é justo.”
fonte: http://www.jesusvoltara.com.br/info/educacao.htm

sexta-feira, 17 de julho de 2009

A importância da Leitura


Uma Atividade Mágica para Cultivar o Hábito da Leitura em seu filho ou aluno.
É impressionante como as coisas mais simples, são verdadeiras e importantes. Veja a seguir uma atividade, absurdamente simples, que pode fazer com que seu filho ou aluno, veja com outros olhos o hábito da leitura.
Fábulaspara Download É uma atividade que vai estimular, firmar ou mesmo fazer com que seu filho ou aluno, tome gosto de vez pela leitura. O primeiro passo é conversar com a criança e descobrir seu gosto literário. Gosto literário aqui significa, saber de que tipo de história ela mais gosta. Feito isso, provoque ela à leitura. Isto é feito do seguinte modo: Primeiro leia você mesmo um livro, sobre o assunto do qual ela gosta. Deixe que ela veja você lendo. Se fizer isso sutilmente, será melhor ainda. Não tente chamar atenção para o fato de estar lendo, especialmente se você não tem o hábito de ler regularmente, pois ela pode perceber o artifício e estragar a tática. Se o adulto é do tipo que gosta de ler e ela já sabe disso, então pode agir de forma natural. Ao ler o livro, procure demonstrar as emoções que sente a partir do que está lendo. Isto é, ria, faça comentários baixinho como se estivesse falando sózinho etc., Isso vai deixá-la bastante curiosa. Ao perceber que você gosta da mesma coisa que ela, sua auto-confiança, vai receber uma enorme injeção de ânimo. Imagine só, um adulto que gosta do mesmo que eu - pensará ela - e sem ninguém pedir para que ele fizesse isso! Quando terminar de ler, não lhe ofereça o livrinho. Ao invés disso, coloque-o em lugar visível, converse com ela sobre outros assuntos, e finalmente sobre histórias do tema que ela prefere; então comente sobre o que acabou de ler. Como isso é feito por partes, a pressa pode estragar tudo. Assim, em outra ocasião, diga que comprou um livro para ela ver, e que é muito bom. Importante: Em momento algum a obrigue a ler. Dê-lhe o livrinho e pronto. Pode ser que no primeiro contato, ela apenas vá folhear as páginas para explorar o terreno onde vai pisar.

quinta-feira, 16 de julho de 2009

20 de julho dia do amigo!
Folhas da Amizade
Existem pessoas em nossas vidas que nos deixam felizes pelo simples fato de terem cruzado o nosso caminho.Algumas percorrem ao nosso lado, vendo muitas luas passarem, mas outras vemos apenas entre um passo e outro. A todas elas chamamos de amigo.Há muitos tipos de amigos.Talvez cada folha de uma árvore caracterize um deles.O primeiro que nasce do broto é o amigo pai e oamigo mãe. Mostram o que é ter vida.Depois vem o amigo irmão, com quem dividimos o nosso espaço para que ele floresça como nós.Passamos a conhecer toda a família de folhas,a qual respeitamos e desejamos o bem.Mas o destino nos apresenta outros amigos, os quais não sabíamos que iam cruzar os nossos caminhos. Muitos desses denominamosamigos do peito, do coração.São sinceros, verdadeiros; sabem quando nãoestamos bem, sabem o que nos faz feliz...As vezes, um desses amigos do peito estala o nosso coração e então é chamado de amigo namorado. Este dá brilho aos nossos olhos, música aos nossos lábios,pulos aos nossos pés. Mas também há aqueles amigos por um tempo, talvez umas férias ou mesmo um dia ou uma hora. Estes costumam colocar muitos sorrisos na nossa face, durante o tempo que estamos por perto.Falando em perto, não podemos esquecer dos amigos distantes. Aqueles que ficam nas pontas dos galhos, mas que quando o vento sopra, sempre aparecemnovamente entre uma folha e outra.O tempo passa, o verão se vai, o outono se aproxima, e perdem algumas de nossas folhas.Algumas nascem num outro verão e outras permanecem por muitas estações. Mas o que nos deixa mais feliz éque as que caíram continuam por perto, continuam alimentando a nossa raiz com alegria.Lembranças de momentos maravilhososenquanto cruzavam o nosso caminho.Desejo a todos vocês, folhas da minha árvore,Paz, Amor, Saúde, Sucesso, Prosperidade...Hoje e Sempre...Simplesmente porque:Cada pessoa que passa em nossavida é única. Sempre deixa um pouco de sie leva um pouco de nós.Há os que levaram muito,mas não há os que não deixaram nada.Esta é a maior responsabilidade de nossa vidaE é a prova quase evidente de queduas almas não se encontram por acaso.
Autor: Desconhecido

COLÉGIO GRÊMIO EDUCATIVO

São João 2009

video Pense numa turma legal! Parabéns CGE a cada ano superando seus limites. Que Deus continue iluminando os caminhos dessa grande Família Grêmio Educativo.

Paulo Freire


O mais célebre educador brasileiro, autor da pedagogia do oprimido, defendia como objetivo da escola ensinar o aluno a "ler o mundo" para poder transformá-lo


Paulo Freire (1921-1997) foi o mais célebre educador brasileiro, com atuação e reconhecimento internacionais. Conhecido principalmente pelo método de alfabetização de adultos que leva seu nome, ele desenvolveu um pensamento pedagógico assumidamente político. Para Freire, o objetivo maior da educação é conscientizar o aluno. Isso significa, em relação às parcelas desfavorecidas da sociedade, levá-las a entender sua situação de oprimidas e agir em favor da própria libertação. O principal livro de Freire se intitula justamente Pedagogia do Oprimido e os conceitos nele contidos baseiam boa parte do conjunto de sua obra.
Ao propor uma prática de sala de aula que pudesse desenvolver a criticidade dos alunos, Freire condenava o ensino oferecido pela ampla maioria das escolas (isto é, as "escolas burguesas"), que ele qualificou de educação bancária. Nela, segundo Freire, o professor age como quem deposita conhecimento num aluno apenas receptivo, dócil. Em outras palavras, o saber é visto como uma doação dos que se julgam seus detentores. Trata-se, para Freire, de uma escola alienante, mas não menos ideologizada do que a que ele propunha para despertar a consciência dos oprimidos. "Sua tônica fundamentalmente reside em matar nos educandos a curiosidade, o espírito investigador, a criatividade", escreveu o educador. Ele dizia que, enquanto a escola conservadora procura acomodar os alunos ao mundo existente, a educação que defendia tinha a intenção de inquietá-los.
Biografia
Paulo Freire nasceu em 1921 em Recife, numa família de classe média. Com o agravamento da crise econômica mundial iniciada em 1929 e a morte de seu pai, quando tinha 13 anos, Freire passou a enfrentar dificuldades econômicas. Formou-se em direito, mas não seguiu carreira, encaminhando a vida profissional para o magistério. Suas idéias pedagógicas se formaram da observação da cultura dos alunos – em particular o uso da linguagem – e do papel elitista da escola. Em 1963, em Angicos (RN), chefiou um programa que alfabetizou 300 pessoas em um mês. No ano seguinte, o golpe militar o surpreendeu em Brasília, onde coordenava o Plano Nacional de Alfabetização do presidente João Goulart. Freire passou 70 dias na prisão antes de se exilar. Em 1968, no Chile, escreveu seu livro mais conhecido, Pedagogia do Oprimido. Também deu aulas nos Estados Unidos e na Suíça e organizou planos de alfabetização em países africanos. Com a anistia, em 1979, voltou ao Brasil, integrando-se à vida universitária. Filiou-se ao Partido dos Trabalhadores e, entre 1989 e 1991, foi secretário municipal de Educação de São Paulo. Freire foi casado duas vezes e teve cinco filhos. Foi nomeado doutor honoris causa de 28 universidades em vários países e teve obras traduzidas em mais de 20 idiomas. Morreu em 1997, de enfarte.

EU SÓ PEÇO A DEUS...

  • A cada momento das nossas vidas precisamos ter um olhar diferenciado, buscando através das nossas reflexões mudanças de hábitos das quais muitas vezes não temos consciência, por isso se faz necessário buscar a reflexão - ação - reflexão. Aproveite esta linda mensagem e demonstre o que há de melhor dentro de cada de você, sem ter vergonha de expor seus sentimentos e idéias. Boa reflexão.

video


A Sociedade Educacional Jean Piaget realizará neste sábado mais um literatura viva. O projeto tem como objetivo trabalhar obras de autores renomados e colocar os alunos cada vez mais apaixonados pelo mundo mágico da literatura. Entre outros autores o projeto já trabalhou com obras de Shakespeare e Chico Buarque. O grande homenageado do VII Literatura viva é o advogado, professor, teatrólogo e célebre romancista brasileiro Ariano Suassuna e sua obra o Auto da Compadecida. O evento acontece amanhã ás sete da noite no passeio Leônidas Melo.

domingo, 5 de julho de 2009

Estava passeando pela internet e encontrei esta reportagem que é fantástica não acha?

Dizer que o aluno não aprende
"Nasceu gente, é inteligente." Essa máxima de Jean Piaget (1896-1980) resume bem quão absurdo é considerar um estudante incapaz de aprender. Diante de dificuldades de aprendizagem, o professor deve investigar o que impede a compreensão do conteúdo. Esse é um dos desafios de quem educa: descobrir maneiras diferentes de ensinar a mesma coisa, já que os estudantes têm ritmos e históricos variados. Também é papel do educador se questionar sobre a abordagem do conteúdo. Ela despertou curiosidade? O indivíduo encontrou utilidade no que foi apresentado? É com base nessas indagações (e nas respostas) que o professor deve pensar como expor o tema, que atividades propor e como avaliar. Ainda assim, todos têm o direito de perguntar o que não entenderam quantas vezes quiserem, sem medo de ser rotulados, ameaçados ou castigados. Os alunos precisam acreditar que o educador gosta de ensinar e, mais do que isso, saber que ele está cumprindo sua função. Nas séries iniciais, é comum (e normalíssimo) encontrar crianças com dificuldades de aprendizado. Classificar tais dificuldades como dislexia, por exemplo, não representa o melhor caminho. Também é fácil ver estudantes mais aptos para algumas disciplinas, mas nem por isso é correto classificá-los como incapazes em relação a outros. Todos podem desenvolver suas capacidades intelectuais e cognitivas. É a ação do professor que faz a diferença.

sábado, 4 de julho de 2009

Pensar na gestão de uma instituição não requer isolamento e ponto de gabinete fechado.

"Haja hoje para tanto ontem" Paulo Leminski